Megatime do interior poderia esquentar o campeonato paulista

Atualmente no Brasil, muitos jogadores consagrados nacionalmente e internacionalmente estão jogando no país.

Inclusive jogadores que foram campeões mundiais!

Este time poderia ser o seu hoje!

Continuar lendo

Anúncios

Corinthians e a polêmica invasão da torcida

O assunto ainda está rendendo nos portais de notícias e acho que vale pontuar algumas questões que li a respeito em conjunto com algumas reflexões.

A primeira: Os jogadores do Corinthians tem o direito de ir cobrar a Gaviões da Fiel se a escola de samba não for campeã esse ano da mesma forma com que eles foram cobrados. Direitos iguais devem ser respeitados. Seria uma afronta para a Gaviões ou uma cobrança justa?

A segunda: O presidente Gobbi deveria seguir a mesma linha de raciocínio do presidente palmeirense Paulo Nobre, exterminando a bolsa-auxílio para que estes “torcedores” frequentem o estádio. Que paguem do bolso como todo torcedor corinthiano “de bem”. A verdadeira torcida corinthiana mostrou seu poder aquisitivo ao colocar 20 mil torcedores no Japão. É uma torcida endinheirada, querendo consumir um produto de qualidade. Eliminando as organizadas das arquibancadas, abrirá um espaço para que o torcedor com dinheiro no bolso vá até a Arena Corinthians torcer pelo seu time em paz.

A terceira: Política de identificação de torcedores nos estádios deve ser mais intensa. A tecnologia está aí para ser usada em prol do torcedor “de bem”, não do vândalo.

A quarta: Leis mais rígidas. Apenas dessa forma, a alegria de uma família voltar a frequentar um estádio de futebol voltará, pois o pai de família terá certeza que o torcedor vândalo não estará mais nas redondezas do estádio, e nem dentro dele, e sim, na cadeia, como é na Inglaterra.

A quinta: Calendário mais racional. Sim, o calendário bizonho influencia no ritmo do time em campo e a sua performance é abaixo da crítica. As derrotas geram a ira e deflagram essas atitudes animalescas de torcedores vândalos. Um calendário mais inteligente traria mais tempo para os times se prepararem e resultados ruins seriam mais difíceis de acontecer.

A sexta questão: Salário por produtividade. Está dando certo esta fórmula no Palmeiras e deveria ser aplicada no Corinthians. O time está apático em campo. Os palmeirenses estão comendo grama para honrar seus salários. Os corinthianos reclamam que no fim do mês o dinheiro da Caixa não cai em suas contas.

Concordam? Discordam? Gostaria de pontuar algum outro aspecto? Comente na caixinha.

Corinthians x Santos e o Campeonato Paulista

Enfim o primeiro clássico do Campeonato Paulista 2014. Corinthians e Santos jogam hoje a noite e é o jogo da TV. 

Bem longe do glamour dos áureos tempos do Campeonato Paulista, todo clássico merece atenção, seja ele um jogo entre times do mesmo estado ou um clássico interestadual, como os que ocorre na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro. 

Apesar de muitos jornalistas dizerem que o campeonato está no começo, e que os principais times vão evoluir, ao findar a quarta rodada, já teremos mais de 26% do campeonato ocorrido. É para esse número que os principais jornalistas não olham, e que é muito relevante. 

Seu equivalente no Campeonato Brasileiro ocorre com 9 rodadas e 27 pontos disputados. No Paulista, com 4 rodadas e 12 pontos disputados. 

O regulamento desse ano do Paulista nos relembra que teremos apenas os jogos de ida na fase de classificação. E foi montado para preservar os clássicos. No entanto, mais uma vez, não foi levado em consideração o estado físico e técnico ruim que os times se encontram neste momento. 

Para o jogo entre Corinthians e Santos ter o verdadeiro sabor da disputa, atrair multidões e ter uma cobertura mais apaixonada e emocionante por parte da mídia, o calendário de jogos deveria ter proposto os clássicos nas últimas três rodadas. Assim, os times teriam tido mais tempo para se prepararem para esses jogos de maior importância. 

Nem este aspecto a Federação Paulista pensou. E já havia benchmark, realizado no Campeonato Brasileiro, com um clássico regional fechando o campeonato. 

Finalizando o texto, palpito que o placar final será de 1×1. E o IBOPE não será essas coisas.