Futebol > Regra contra os carniceiros

O Paulistão sempre se destacou na mídia, especialmente na época do ex-presidente Eduardo José Farah, com regulamentos e promoções inusitadas.

Eduardo José Farah, ex-presidente da FPF

Eduardo José Farah, ex-presidente da FPF

A regra de 15 faltas e a partir da décima sexta haver uma falta da meia lua, sem barreira, foi uma de suas inovações que não pegaram. Outra inovação foi utilizar da disputa de pênaltis para os jogos não acabarem empatados. Esse regulamento ajudou muito a Ponte Preta, que se classificou para o mata-mata com diversos empates com gols e bom aproveitamento na disputa de penais.

Continuar lendo

A desgraça da Portuguesa

É dificil torcer para um time de tradição que não é vencedor e ano após ano, não consegue dar o salto de qualidade que o tornaria maior.

Estou falando da Portuguesa.

Time clássico da cidade de São Paulo, a equipe do Canindé enfrenta um grande desafio nestes próximos 4 meses. O motivo? A Lusa jogará a Série A-2 do Campeonato Paulista.

Se a série A-1 do Paulistão já não tem grande nível técnico, com rendas e público baixos na maioria dos jogos, a A-2 é pior. A Portuguesa terá uma ajuda de custo da FPF de aproximadamente 190 mil reais para o campeonato todo. Para deixar a situação mais grave, a Lusa não jogará nenhum clássico até o início do Campeonato Brasileiro, jogos esses que trazem mais público pra o Canindé. E o buraco fica grande mesmo quando o principal patrocinador do clube pede para que o contrato seja cancelado. Para finalizar, a Série A-2 não tem jogos transmitidos pela TV.

Tudo isso impacta na construção de um elenco melhor do que o de 2012, que escapou por pouco do rebaixamento do Brasileirão. E é terrível para quem joga hoje no time, pois os salários poderão sofrer atrasos e desestabilizar o elenco.

Vamos torcer para Lusa não se tornar o Juventus ou o Nacional e viver apenas de torcedores da colônia portuguesa no seu futuro.

Calendário do futebol brasileiro

Muitos hoje reclamam do calendario do futebol brasileiro. É um fato que os jogadores por aqui jogam anualmente cerca de 20 jogos a mais que os europeus. Com isso, a possibilidade das lesoes é muito maior e a recuperaçäo física é mais dificil.

Mas alem do fato bizarro do nosso calendario nao seguir o modelo europeu, vemos nas tabelas de jogos o desrepeito ao torcedor e a arrecadacao nos jogos. É unanime que nos jogos no meio de semana as partidas que nao sejam transmitidas pela televisao sejam realizadas as 20h30. É o melhor horário para as pessoas se deslocarem do trabalho e chegar ao estadio, mesmo enfrentando o transito caotico dos grandes centros.

Falei tudo isso para chegar aqui e registrar minha indignacao com a Federacao Paulista de Futebol, que marcou para a quarta rodada o jogo entre Corinthians contra Ponte Preta, no Pacaembu, o horário das 17 horas em plena quarta-feira.  Como posso acreditar que o estadio terá público neste horário famigerado escolhido para abrigar a partida. Geralmente esse é um horario bom para os jogos no final de semana, onde as pessoas estao de folga e podem ir presenciar o jogo. Mas numa quarta? Que infelicidade. E o Estatuto do Torcedor? Quando será que haverá o respeito a ele. O torcedor não é privilegiado nessa questão. E o Corinthians? Como fica su arrecadacao de bilhetes em um jogo como esse? Mesmo com o programa Fiel Torcedor, teremos certamente vendas dos ingressos apenas para os torcedores cumprirem a cota da Libertadores. Ou talvez nem isso. Penso tambem nos radialistas que farão a transmissão do jogo na hora de descrever o público no estádio.

Situacao triste, que prejudica a todos os envolvidos no espetáculo e que parece que a Federação Paulista de Futebol realiza apenas para aparecer. E aparecer da maneira mais infame.