Vettel e o momento ruim da Red Bull

Saiu na imprensa nesta semana uma análise sobre Sebastian Vettel e o momento da equipe Red Bull de Fórmula 1.

Pela primeira vez em anos, a Red Bull está muito mal. O carro está quebrando toda hora nos testes e até a nanica Caterham conseguiu dar mais voltas.

Muitos entusiastas da Fórmula 1 que torcem o nariz para o alemão estão muito felizes com este momento da equipe austríaca, pois acham que o piloto germânico só ganhou 4 títulos pois a Red Bull era o melhor carro e alegam que ele não é tão bom piloto assim. Justificam que o Alonso é melhor. Não é meu caso. Eu acho que sempre haverá uma procura da melhor equipe pelo melhor piloto, e vice-versa.

Duas sessões de treinos já ocorreram com os carros 2014. Esta semana acontece a última bateria de testes, agora no Oriente Médio. Depois disso, as equipes só vão andar lá na Austrália, na abertura do campeonato de 2014.

Esta semana já é a semana dos últimos ajustes finos, testes de velocidade final e simulações de corrida. Entender o consumo de combustível nesta semana será crucial para não sofrer uma pane seca na Oceania.

Muitos comentaristas falam que um carro bem nascido pode ter bom desempenho ao longo do ano. Vimos isso na Lotus, muito constante pelo que ela prometia, mesmo com os problemas financeiros da equipe. E um carro mal nascido pode jogar uma equipe num buraco para toda a temporada, o que me parece que é o cenário para a Red Bull até o momento.

A curiosidade é grande para ver como Vettel vai se comportar perante a equipe nesta fase. Será que em Setembro vou falar que ele assinou com a Ferrari para fazer dupla com Alonso em 2015? Veremos.

Bolão da Fórmula 1

Resolvi publicar um bolão da Fórmula Um 2014.

Tentarei acertar corrida a corrida o Top 10 da prova, o autor da volta mais rápida e quem vai fazer a pole position.

A Lotus ainda nem foi para a pista, a Red Bull está com problemas com o motor Renault, ainda tem um mês para a primeira corrida, mas eu vou palpitar já e vou ver no que vai dar após o primeiro GP.

Lembrando que na última Copa do Mundo fiz a mesma coisa e quase ganhei o bolão que joguei com meus amigos. Coloquei Holanda campeã bem antes de começar o torneio e quase emplaquei.

O pole position para a primeira prova deverá sair da equipe Mercedes, que foi a que melhor treinou ao meu modo de ver. A McLaren vem rápida, e a Williams surpreendendo com o Massa. No entanto, Lewis Hamilton largará no P1 na primeira prova do ano, na Austrália.

Já o autor da volta mais rápida eu vou dizer que será Nico Rosberg, parceiro de equipe de Hamilton.

E o Top 10 da prova ficará dessa maneira:

P1 – Lewis Hamilton

P2 – Nico Rosberg

P3 – Jenson Button

P4 – Fernando Alonso

P5 – Felipe Massa

P6 – Kevin Magnussen

P7 – Kimi Raikkonen

P8 – Sebastian Vettel

P9 – Daniel Ricciardo

P10 – Romain Grosjean

Será que meu palpite está certo? Faça o seu comentando na caixinha!

Falando sobre Fórmula 1

Ano passado, publiquei no início da temporada um texto que falava a respeito das promessas da temporada 2013.

Realmente algumas coisas que eu escrevi, se concretizaram, como o Vettel campeão, quando coloquei ele como um dos favoritos, e uma boa temporada do Kimi, que segurou um terceiro lugar na tabela de classificação até o momento que ele foi operar as costas e deixou as duas últimas provas de lado.

No entanto, Massa decepcionou. Foi considerado melhor apenas que os pilotos das equipes mais fracas com base em uma análise técnica por um veículo especializado. Não ganhou nenhuma prova e terminou a temporada no olho da rua, indo para a modesta Williams.

Nenhum brasileiro se destacou internacionalmente nas categorias de base, para que tivéssemos um segundo piloto na F-1 em 2014. Razia saiu do holofote das equipes, e Nasr, que é a atual promessa brasileira, só tem oportunidades em equipes nanicas, caso da Caterham e da Marussia.

Uma pena. O esporte hoje necessita de patrocinadores que projetem os atletas, e não estamos vendo isso acontecer no nosso país.

Análises indicam que Massa foi o piloto mais veloz em Jerez

Saiu uma matéria no Globo.com falando a respeito da velocidade em reta e a maior velocidade em curva obtidas nos primeiros treinos da Fórmula 1 em 2014.

E a surpresa veio com Felipe Massa sendo o mais rápido nas duas aferições.

O que achei bacana da história é que aparentemente o carro da Williams foi bem nascido e a combinação com o novo motor Mercedes no lugar do Renault parece ter funcionado.

E sabemos o quanto é importante um carro ser bem nascido em uma temporada de Fórmula 1. Ainda mais numa equipe que não é apoiada por montadora e que o dinheiro é curto e escasso, ou seja, cada euro investido tem um peso maior na importância do seu retorno.

Semana que vem teremos mais testes e acredito que a Red Bull vem melhor, já que teve problemas com o propulsor Renault e andou pouca quilometragem. E certamente vão querer recuperar o terreno.

Treino é treino e jogo é jogo, mas teria Massa acertado de forma surpreendente a equipe para 2014? Veremos como o desenvolvimento do carro irá ocorrer nos treinos até o primeiro GP de 2014.

Fórmula 1. Finalmente!

E hoje a temporada 2013 da Fórmula 1 se inicia. Apenas Felipe Massa, na Ferrari, representa o Brasil. Razia e Bruno Senna ficaram pelo caminho. No caso deles, o dinheiro falou mais baixo e não conseguiram vaga para este ano.

No entanto, Massa vem numa crescente depois da pausa das férias do meio do ano de 2012. E o carro novo promete bons resultados para a equipe italiana desde já.

O primeiro treino livre tem transmissão do Sportv hoje às 22h30. O qualificatório passará na Globo da sexta para o Sábado às 3 da manhã. A corrida, também ao vivo na Globo, do Sábado para o Domingo, às 3 da matina também.

Favoritos ao título? Os de sempre. Alonso e Vettel num primeiro plano, Raikkonen, Button, Hamilton, Massa e Webber em um segundo plano.

Vamos torcer para o Massa fazer uma temporada sem a pressão da imprensa italiana e que ao final dela, o Brasil esteja no lugar mais alto da tabela de classificação.

Fórmula 1. Finalmente!

E hoje a temporada 2013 da Fórmula 1 se inicia. Apenas Felipe Massa, na Ferrari, representa o Brasil. Razia e Bruno Senna ficaram pelo caminho. No caso deles, o dinheiro falou mais baixo e não conseguiram vaga para este ano.

No entanto, Massa vem numa crescente depois da pausa das férias do meio do ano de 2012. E o carro novo promete bons resultados para a equipe italiana desde já.

O primeiro treino livre tem transmissão do Sportv hoje às 22h30. O qualificatório passará na Globo da sexta para o Sábado às 3 da manhã. A corrida, também ao vivo na Globo, do Sábado para o Domingo, às 3 da matina também.

Favoritos ao título? Os de sempre. Alonso e Vettel num primeiro plano, Raikkonen, Button, Hamilton, Massa e Webber em um segundo plano.

Vamos torcer para o Massa fazer uma temporada sem a pressão da imprensa italiana e que ao final dela, o Brasil esteja no lugar mais alto da tabela de classificação.

Nelson Piquet merece ser valorizado

Era um outro estilo de piloto. Um piloto como Piquet não vemos mais na Fórmula 1 de hoje. 

Simples. Piquet era muito competitivo e conhecia muito de mecânica. Isso fazia a diferença nas corridas. Brigava pelas vitórias, mas sabia também somar pontos quando naquela corrida ele tinha certeza que não chegaria ao lugar mais alto do pódio. 

Rivalizou com os maiores pilotos da década de 80, acho que a década que foi a melhor da F-1, pois os pilotos tinham sangue nos olhos e as rivalidades eram muito a flor da pele. Uma época de alta testosterona na F-1, onde Piquet e Mansell, depois Senna e Prost formaram duplas de pilotos que só faltavam os sopapos fora das pistas. 

Piquet foi tri, assim como Senna. Piquet no entanto criou novidades no circo da Fórmula 1, como os cobertores elétricos de pneus, e o reabastecimento. 

Com sua genialidade fora das pistas, conseguia ir além dos outros. 

Tivemos um bad boy dentro das pistas, e vencedor. Romário também um bad boy e vencedor. Senna era mais polido. 

Ser tri ainda hoje é uma façanha memorável, apesar de que as equipes hoje contam com apenas um piloto forte e um escudeiro, carros diferentes e o piloto faz menos diferença do que naquela época. 

Piquet foi o primeiro brasileiro tri. Se Emerson Fittipaldi abriu o caminho para os brasileiros na F-1, Piquet o honrou e manteve a chama acesa do automobilismo em nós. Senna pegou seu cetro e seguiu com seu legado. 

A esperança de ver um novo campeão brasileiro é imensa, mas sabíamos que ao ver Piquet pilotando, teríamos um piloto aguerrido, com mais vontade do que os outros e que nossos desejos estariam mais perto de acontecer. 

 

Fórmula Um – GP de Spa

Incrivel a zica que Rubens Barrichello carrega em seu carro. Bom, com Galvão Bueno secando desde antes da largada fica fácil descobrir o andamento da corrida. Ele disse que se a prova terminasse com as posições do grid, Rubinho faria 5 pontos e seus concorrentes nenhum. O que era ótimo. Mas 30 segundos depois, ou nem isso, Rubens já era o último colocado. Parece que pela terceira vez no ano, o dispositivo de seu carro que não o deixa morrer o F-1 da Brawn matou o fim de semana de todos os brasileiros que acompanham o campeonato.

Lá pela metade da prova, mudança na estratégia do brasileiro, começou a se falar de Alonso. Principalmente Galvão, que começava a por o asturiano no pódio, ou quem sabe algo mais. Pois é, deu que no pit-stop travou uma das rodas a serem trocadas e Alonso perdeu uns bons 45 segundos no pit. Resultado, voltou em último. É, Galvão estava a toda hoje com sua zica poderosa. Uma ou duas voltas depois, o big boss da Renault, Flavio Briatore pediu para que Alonso fosse aos boxes e abandonasse a corrida, com medo de outra punição para a equipe.

E enquanto isso ninguém falava de Vettel, que no terço final da prova conquistou a terceira posição e por lá ficou, sorte dele, pois, com sua posição no pódio, somou 6 pontos. Seu motor aguentou até o final desta vez, por competência, sorte e também por falta de secar a pimenteira dele por parte do Galvão.

E aí chegamos ao final da prova mais surpreendente do ano, ou melhor, do fim de semana mais surpreendente do ano considerando que tivemos sempre tempo bom na Bélgica com a vitória de Kimi da Ferrari, a primeira do time italiano no ano e o segundo lugar da Force India de Fisichella. Impressionante o acerto que a equipe teve para esse fim de semana. Só não passou pois faltou o Kers para tentar arriscar, já que o carro ferrarista possui o equipamento e assim ficou difícil nas retas.

E o Rubinho??? Em sétimo recebeu a bandeirada final, quando estava colado no sexto, Kova da McLaren (seguindo o apelido dado nas transmissões por Massa, hehe) seu motor começou a fumar justamente quando começaram a mostrar a briga entre os 2 e o Galvão incitando que ia passar. Rubinho tirou o pé, cruzou a linha de chegada sem efetivamente ter disputado e quando o carro parou, pegou fogo, que os bombeiros prontamente já cuidaram do problema.

Vamos ver se na próxima prova teremos alguma bagunça como foi esta semana e vamos torcer para o Rubinho ter mais sorte de campeão, pois hoje não teve.

F1-2009

Já temos a tabela de preços dos ingressos para o GP Brasil de 2009 da Fórmula 1.

A – R$ 550 (Sexta, sábado e domingo);  R$  526 (Sábado e domingo)
B* – R$ 1.458 (Sexta, sábado e domingo); R$ 1.368 (Sábado e domingo)
M* – R$ 1.150 (Sexta, sábado e domingo);  R$ 1.060 (Sábado e domingo)
D* – R$ 1.900 (Sexta, sábado e domingo); R$ 1.790 (Sábado e domingo)
E** – R$ 2.220 (Sexta, sábado e domingo); R$ 2.120 (Sábado e domingo)
F* – R$ 1.100    (Sexta, sábado e domingo); R$ 994 (Sábado e domingo)
G – R$   410    (Sexta, sábado e domingo); R$ 356 (Sábado e domingo)
V** – R$ 1.656 (Sexta, sábado e domingo); R$ 1.440 (Sábado e domingo)

Sendo * – Arquibancada coberta

Sendo** – Alimentação inclusa e arquibancada coberta

Vendas a partir de 15 de Dezembro de 2009 pelo site oficial.
Minha opinião? Preços absurdos para o evento. Em absoluto. Vivemos num país onde esses preços não servem para 90% dos brasileiros. Sabemos que Massa, da Ferrari, indiretamente é um piloto que inflaciona os preços, pelo fato de correr por uma equipe grande e é um chamariz para o público com certeza, mas isso não é culpa dele.Se facilitarem o parcelamento, teremos casa cheia novamente com uma boa temporada de Massa, senão, será uma corrida para os gringos virem ver.

Post #43 – Sobre a declaração de Schumacher

Impressionante como certas declarações surgem em momentos inoportunos na Fórmula 1.

Saiu hoje nos principais portais a notícia que Schumacher deixou a Ferrari em 2006 para manter o emprego do piloto brasileiro Felipe Massa.

Com a contratação de Kimi Raikkonnen, o brasileiro não teria espaço na equipe, na visão de Schummy, sendo a dupla formada por ele e o piloto finlandês.

Dessa maneira, a declaração deve repercutir negativamente na imprensa européia, afinal, dá margem para especulações de que Felipe Massa atua como segundo piloto na Ferrari e que não é um piloto que deve ter total confiança.

Uma bola bem fora dada por Schumacher, infelizmente. Ainda mais considerando que o heptacampeão se diz amigo de Massa.