Nelson Piquet merece ser valorizado

Era um outro estilo de piloto. Um piloto como Piquet não vemos mais na Fórmula 1 de hoje. 

Simples. Piquet era muito competitivo e conhecia muito de mecânica. Isso fazia a diferença nas corridas. Brigava pelas vitórias, mas sabia também somar pontos quando naquela corrida ele tinha certeza que não chegaria ao lugar mais alto do pódio. 

Rivalizou com os maiores pilotos da década de 80, acho que a década que foi a melhor da F-1, pois os pilotos tinham sangue nos olhos e as rivalidades eram muito a flor da pele. Uma época de alta testosterona na F-1, onde Piquet e Mansell, depois Senna e Prost formaram duplas de pilotos que só faltavam os sopapos fora das pistas. 

Piquet foi tri, assim como Senna. Piquet no entanto criou novidades no circo da Fórmula 1, como os cobertores elétricos de pneus, e o reabastecimento. 

Com sua genialidade fora das pistas, conseguia ir além dos outros. 

Tivemos um bad boy dentro das pistas, e vencedor. Romário também um bad boy e vencedor. Senna era mais polido. 

Ser tri ainda hoje é uma façanha memorável, apesar de que as equipes hoje contam com apenas um piloto forte e um escudeiro, carros diferentes e o piloto faz menos diferença do que naquela época. 

Piquet foi o primeiro brasileiro tri. Se Emerson Fittipaldi abriu o caminho para os brasileiros na F-1, Piquet o honrou e manteve a chama acesa do automobilismo em nós. Senna pegou seu cetro e seguiu com seu legado. 

A esperança de ver um novo campeão brasileiro é imensa, mas sabíamos que ao ver Piquet pilotando, teríamos um piloto aguerrido, com mais vontade do que os outros e que nossos desejos estariam mais perto de acontecer. 

 

Post #30 – A F-1 e Kubica

<!– @page { margin: 2cm } P { margin-bottom: 0.21cm } –>

Chegamos ao final do primeiro terço da temporada 2008 da F-1 e vemos que o lider da temporada, o inglês Lewis Hamilton não é o favorito ao título da temporada. Afinal, a Ferrari anda mais e seu domínio só não é maior nos circuitos da temporada pois anda fazendo lambanças de bastidores, como neste último GP com o nosso Felipe Massa.

Por isso o assunto é Kubica. Analisei a tábua de classificação completa que está disponível no UOL e um dado apenas nos mostra que a BMW será o carro do segundo semestre a bater de frente com a Ferrari. Além de estar apenas a 1 ponto da McLaren no Mundial de Construtores, a BMW tem um piloto muito competente chamado Robert Kubica e um segundo piloto, Nick Heidfeld, melhor e mais experiente que Hekki Kovalainen. Kubica poderia estar em primeiro lugar no campeonato se tivesse conquistado o segundo lugar no GP da Austrália, posição ocupada por seu companheiro Nick Heidfeld e conquistada com o mesmo carro. Somaria então 40 pontos no campeonato, acima dos 38 que Hamilton possui hoje. Ainda assim, não teria conquistado nenhuma vitória na temporada atual e seria o líder.

Se no ano passado a sensação foi o próprio Hamilton, este ano, correndo por fora, está o piloto polonês. Será que ele tem alguma chance de título em 2008?

Post #26 – GT3 Brasil deixando a desejar

Caros leitores do Sinapses de Robson, estou pesquisando informações no site oficial do evento GT3 Brasil, informações básicas como horário da prova, horário de abertura dos portões, horário de eventos que acontecerão antes da prova, esse tipo de informação básica que um evento que se propõe a vender 18 mil ingressos deve ter. Um evento que o SporTV está cobrindo, muitos comentários de Lito Cavalcanti, uma febre na Europa e a possibilidade de ver carros mágicos correndo, como Ford GT, Ferrari F-430, Lamborghini, Dodge Viper e outros.

E não tem uma única informação decente no site com relação a segunda etapa da categoria que irá acontecer em São Paulo, a não ser em relação ao preço dos ingressos e horário de funcionamento de bilheteria.

Muito triste isso. Está atrapalhando minha organização para ir ver a prova. Ainda mais pq é Dia das Mães e muitas pessoas estão querendo se programar como eu para depois da prova se reunir com a família. Mas dessa maneira não dá. Eu inclusive enviei um e-mail através do site para que diversas dúvidas minhas fossem esclarecidas há mais ou menos duas horas e nada me foi respondido ainda.

Outro ponto negativo é o local de venda dos ingressos, apenas nas bilheterias do Autódromo. Interlagos é muito longe para ir apenas para comprar ingressos deste evento, deveriam vender os ingressos em estádios de futebol da cidade, quiosques espalhados pela cidade e também pelo próprio site na internet.

Os organizadores tem muito o que evoluir ainda para levar o evento ao público e o problema não é preço, afinal o valor do ingresso hoje é muito mais acessível que as finais do campeonato paulista (R$ 15 x R$ 40), e o ingresso é válido para os treinos de sábado e a corrida do domingo.

Enfim, espero que para a próxima prova em São Paulo, a quarta etapa da temporada, esteja melhor organizada.

Até o próximo post!