Post #42 – Saga, Episódio 5 – Santos x Botafogo

Volto a publicar um tópico sobre a saga “Como um time é rebaixado” aqui no Sinapses de Robson.

Desta vez o resultado pode parecer uma superação de um time desesperado. Mas a verdade é que o Santos jogou mal e só empatou a partida pq Kléber Pereira, com a ajuda do árbitro, fez o segundo gol do Santos impedido. Além disso, o Fogão perdeu várias chances claras de gol durante a partida toda.

Muitos santistas comemoraram o empate, vindo de um resultado de 0-2, mas se tratando de um jogo na Vila Belmiro, contra um time muito mal colocado na tabela de classificação, o resultado é que o empate foi ruim para as duas equipes, mais ainda para o Santos.

O Santos segue o mesmo caminho do Corinthians ano passado. Não tem elenco nem para o time titular, o presidente está perpétuo no cargo e a janela vai levar jogadores embora. Além disso, o time tá mal na tabela e sem dinheiro para reforços. O técnico já foi substituído no campeonato. Resultados ruins em casa também está na mistura do caminho da Série B. Um campeonato paulista de sufoco para a torcida.

Será que vai assim até o final?

Anúncios

Post #32 – Saga – Como um time é rebaixado – Parte 3

Seguindo com os episódios da saga “Como um time é rebaixado”, tive que olhar um resultado da série B desta vez para inserir no nosso placar, mesmo que esse resultado não interfira na Série E por motivos óbvios, mas pela forma ridícula com que um time perdeu 3 pontos para o outro.

Estamos falando do jogo entre CRB e Criciúma, ocorrido na casa do CRB, e o placar finalizou 1-0 para o time da casa, com dois, isso mesmo, dois pênaltis perdidos pelo time do Criciúma.

Três pontos perdidos para o Criciúma e três pontos plus para o CRB na contagem.

Pior de tudo, dois jogadores distintos erraram o pênalti. E ambos bateram na trave.

É bom o Criciúma mandar seus jogadores treinarem ao menos uma vez por semana pênaltis, para livrar o time de vexames como este.

E vou continuar acompanhando o campeonato buscando os resultados bizarros para a saga. Até o próximo post.

Post #31 – Saga, capítulo dois. Sport x Fluminense

Dodô, você é o cara!

Entrou no segundo tempo na vitória por 3-1 diante do São Paulo na Libertadores, fez um gol e ajudou o time a se classificar para uma inédita Semi-Final do torneio continental.

<!– @page { margin: 2cm } P { margin-bottom: 0.21cm } –>

Mas fez lambança no final de semana na Série A do Campeonato Brasileiro.

Dodô, você era o cara?

Como pôde perder um pênalti? Ainda mais naquele momento do jogo, onde um gol traria o empate para casa, já nos acréscimos do segundo tempo contra o Sport. Já havia feito um golaço de falta há poucos instantes, com barreira, defesa e goleiro a postos, muito mais difícil. Bateu um pênalti real muito mal batido. E não vêm me dizer que o Sport é tudo isso e vai concorrer ao título da Série A só por fazer uma boa campanha na Copa do Brasil, pois o Sport está com sorte no momento. Existem times melhores hoje do que ele, e o Flu é melhor, mesmo pensando na Libertadores e no Boca Juniors.

Voltando ao Dodô. Será que todo grande jogador não sabe bater pênalti? E especialmente em momentos decisivos da partida? Dodô é exaltado pela imprensa em geral depois de péssimos momentos no futebol e ele deu a volta por cima.

Mas nesta rodada, vou postar no episódio da Saga que o Fluminense perdeu um ponto e o Sport ganhou mais 2. É claro que esse ponto que o Flu perdeu não vai contabilizar para o nada possível rebaixamento do time hoje, mas quem sabe os 2 a mais que o Sport ganhou farão a diferença para ele lá na frente.

Post #28 – Como um time é rebaixado – Episódio 1

O que é o Como um time é rebaixado – Episódio 1?

Esta é uma saga chamada “Como um time é rebaixado”, que vou contar aqui no Sinapses durante o Campeonato Brasileiro quando houver algum resultado bizonho para um time e que lá na frente estes pontos perdidos serão contabilizados na matemática final para simular uma tabela de resultados que deveriam ter acontecido e por algum motivo bizarro, não aconteceu. Estes resultados, no acúmulo do campeonato, poderão decretar o rebaixamento de um time, ou serem aqueles pontos que o time perdeu de bobeira que culminaram no rebaixamento do time, ou então aqueles pontos suficientes para um time deixar de atingir um objetivo maior no campeonato, como classificação na Libertadores ou mesmo o título Brasileiro. Neste primeiro episódio, o alvo foi a Portuguesa, onde, ganhando uma partida pelo placar de 5 x 2, deixou o oponente empatar. Assim, podemos contar -2 pra Portuguesa e +1 para o time do Figueirense. Ainda mais pelo fato do jogo ser em São Paulo.

Matéria editada por Robson Fernandes e retirada do UOL Esporte.

Na volta à elite, Portuguesa vacila em fica no empate com o Figueirense

Em seu retorno à elite do futebol Nacional e em uma partida recheada de gols, a Portuguesa, que vencia o jogo até poucos minutos do fim da partida, acabou empatando em 5 a 5 com o Figueirense, na noite deste domingo, no Canindé.

<!–TR id=tr_img_1&gt;&lt;/TR–>

José Carlos Moreira/AE
Muito marcado, Dentinho teve menos chances diante do Rio Preto

Jogando parte da segunda etapa com um atleta a menos -Patrício foi expulso-, o time do técnico Vager Benazzi chegou a ficar três gols à frente do atual campeão catarinense. No entanto, nos minutos finais da partida, a equipe paulista passou a ser muito pressionada e cedeu o empate ao adversário.

A Portuguesa ainda aumentou para 5 a 2 com Christian, recentemente sondado pelo Corinthians, em bela jogada pelo lado esquerdo.

O zagueiro Felipe Santana, de cabeça, diminuiu o placar para os catarinense: 5 a 3. Mas quando a Portuguesa parecia apenas administrar a partida, a expulsão de Patrício mudou a história do confronto.

Com um homem a menos em campo, o time paulistano ficou vulnerável às investidas do Figueirense, que foi buscar a igualdade no marcador.

Primeiro Bruno Santana diminuiu a diferença para um gol, para em seguida Felipe Santana, artilheiro da noite, fazer seu segundo tento na partida e decretar o 5 a 5 no placar do Canindé, nos minutos finais do confronto.

PORTUGUESA 5X5 FIGUEIRENSE

PORTUGUESA
André Luís; Patrício, Bruno Rodrigo, Marco Aurélio e Bruno Recife; Erick, Carlos Alberto, Preto (Dias) e Edno, Diogo (Rogério) e Christian (Vaguinho)
Técnico: Vagner Benazzi

FIGUEIRENSE
Wilson; César Prates, Felipe Santana, Asprilla e Élton (Magal); Leandro (Bruno Santos), Diogo, Cleiton Xavier e Rodrigo Fabri; Marquinhos Júnior (Edu Salles) e Wellington Amorim
Técnico: Alexandre Gallo

Local: estádio do Canindé, em São Paulo
Data: 11/05/2008, domingo
Árbitro: Emerson Luiz Sobral (PE)
Auxiliares: Elan Vieira de Souza e Luciano José Coelho Cruz (ambos de PE)
Cartões amarelos:Preto (P), Erick (P), César Prates (F), Felipe Santana (F), Bruno Recife (P), Asprilla (F)
Cartão vermelho:Patrício (P)
Gols:Marco Aurélio, aos 4min, Rodrigo Fabri, aos 37min, Patrício, aos 44min do primeiro tempo. César Prates, aos 6min, Bruno Rodrigo, aos 11min, Diogo, aos 13min, Christian, aos 15min, Felipe Santana, aos 25min, Bruno Santos, aos 44min e Felipe Santana aos 47min do segundo tempo.

Comentário: Retirei do site UOL a matéria que foi publicada agora pouco lá. Acompanhei este jogo pelo UOL Esporte e quando li 5 x 2 Portuguesa, decretrei mentalmente a vitória do time paulista. Pior de tudo é que o UOL tem um simulador da tabela em tempo real e eu lia ali que o time do Canindé, após seu quinto gol, era o líder do campeonato, pois possuía 3 gols de saldo e fazia seu quinto gol naquele momento. O Flamengo ganhava de 2 a 0 e não havia nenhum resultado elástico também. Acho que a última vez que a Portuguesa liderou um campeonato brasileiro da primeira divisão foi em 1996 e olhe lá. Este time, que era considerado o segundo time do paulistano, antes da onda São Caetano, ficou 5 anos na segunda divisão do campeonato brasileiro. Mas a Portuguesa deixou a chance de liderar escapar e está na décima posição.