Megatime do interior poderia esquentar o campeonato paulista

Atualmente no Brasil, muitos jogadores consagrados nacionalmente e internacionalmente estão jogando no país.

Inclusive jogadores que foram campeões mundiais!

Este time poderia ser o seu hoje!

Continuar lendo

Anúncios

Vettel e o momento ruim da Red Bull

Saiu na imprensa nesta semana uma análise sobre Sebastian Vettel e o momento da equipe Red Bull de Fórmula 1.

Pela primeira vez em anos, a Red Bull está muito mal. O carro está quebrando toda hora nos testes e até a nanica Caterham conseguiu dar mais voltas.

Muitos entusiastas da Fórmula 1 que torcem o nariz para o alemão estão muito felizes com este momento da equipe austríaca, pois acham que o piloto germânico só ganhou 4 títulos pois a Red Bull era o melhor carro e alegam que ele não é tão bom piloto assim. Justificam que o Alonso é melhor. Não é meu caso. Eu acho que sempre haverá uma procura da melhor equipe pelo melhor piloto, e vice-versa.

Duas sessões de treinos já ocorreram com os carros 2014. Esta semana acontece a última bateria de testes, agora no Oriente Médio. Depois disso, as equipes só vão andar lá na Austrália, na abertura do campeonato de 2014.

Esta semana já é a semana dos últimos ajustes finos, testes de velocidade final e simulações de corrida. Entender o consumo de combustível nesta semana será crucial para não sofrer uma pane seca na Oceania.

Muitos comentaristas falam que um carro bem nascido pode ter bom desempenho ao longo do ano. Vimos isso na Lotus, muito constante pelo que ela prometia, mesmo com os problemas financeiros da equipe. E um carro mal nascido pode jogar uma equipe num buraco para toda a temporada, o que me parece que é o cenário para a Red Bull até o momento.

A curiosidade é grande para ver como Vettel vai se comportar perante a equipe nesta fase. Será que em Setembro vou falar que ele assinou com a Ferrari para fazer dupla com Alonso em 2015? Veremos.

Morte de torcedor uniformizado reabre debate sobre violência e futebol

No último domingo uma briga de torcedores envolvendo uma torcida organizada do São Paulo e um torcedor uniformizado do Santos acabou na morte do torcedor santista. A briga ocorreu após o clássico entre São Paulo x Santos.

Novamente a desgraça ocorre após um jogo de futebol. E um torcedor uniformizado é morto por uma torcida do outro time.

Já passou da hora das leis serem mais rígidas para esse tipo de comportamento inaceitável em uma sociedade do século XXI. Na verdade mesmo, o comportamento do ser humano no século XXI já não deveria ser esse faz tempo, mas a educação do nosso povo não permite tamanha evolução.

Enfim, mais um que se vai devido a ignorância de torcedores que não respeitam a opinião e o desejo do outro em simplesmente torcer para outro time. É uma morte estúpida e que se soma a outras ocorridas ao longo das décadas. Ano passado foi a morte do torcedor no jogo do Corinthians pela Libertadores com o rojão. Agora foi briga. Noutro ano foi batalha campal entre torcedores do Palmeiras e do São Paulo ocorrida no Pacaembu. E assim vai.

E o torcedor de bem, aquele que não é financiado pelo clube, que compra produto original que destina dinheiro aos caixas do seu time de coração, aquele que poderia levar a família toda para o estádio e consumir produtos lá dentro, gerando maior receita? Esse é excluído pelos bandidos e marginais que são a preferência dos clubes como público para ter em seus estádios. Uma lástima.

O fato foi tão sério que repercutiu até no Jornal Hoje, com uma matéria sobre o ocorrido.

Eu ia escrever: “Que as autoridades ajam agora para que outras coisas como essa não ocorram mais”, no entanto, motivos brutais como esse, ou até piores já ocorreram e nada foi feito para deixar esse tipo de situação mais difícil de ocorrer.

Hoje acredito muito pouco que algo vai mudar.

Compartilhe sua opinião na caixinha. Você deixa de ir ao estádio por medo e insegurança?

QI de Futebol

Play Calling on Soccer Field Diagram

Assisto vários jogos de futebol, não somente os jogos do time que eu torço.

E vejo que os jogadores que estão jogando no futebol brasileiro tem um QI de futebol bem limitado em sua maioria.

QI de futebol ao meu ver tem uma relação direta com o meio campista cerebral, que pensa o jogo. No entanto, qualquer jogador de futebol tem QI de futebol. E isso pode ser desenvolvido.

Continuar lendo

Camisa amarela do Corinthians é um show de horror

Danilo em ação pelo Corinthians com a camisa amarela

Danilo em ação pelo Corinthians com a camisa amarela

A fornecedora de material esportivo do Corinthians sempre lança moda com a camisa três corinthiana. Ao longo de mais de 10 anos de parceria, algumas camisas realmente ficaram bonitas e faziam sentido. Já outras ações não ficaram esteticamente bonitos e não tem nada a ver com a história corinthiana, ou seu contexto.

O Corinthians já teve camisa roxa, preta e roxa, cinza, prata, azul e agora a amarela.

A amarela ficava bem no goleiro Cássio, pois o uniforme de goleiro tem que ser diferente dos jogadores e do árbitro.

Mas do jeito que o conjunto foi pensado, fazendo uma homenagem para a seleção brasileira no ano da copa do mundo, ficou muito esquisito e me lembra o Criciúma e o Novorizontino.

A diretoria do Corinthians deveria barrar essas ideias da fornecedora de material esportivo pois descaracteriza o clube.

Corinthians é branco e preto. E ponto final. Nem o vermelho que faz parte do escudo do time deve ser usado na cor do uniforme.

Esse amarelo é uma aberração, que fere as tradições corinthianas e deve ser abandonado o quanto antes.

Daqui a pouco vão criar um motivo para lançar uma camisa verde do Corinthians. Aí quero ver se a Gaviões não invade de novo o CT.

Então temos um brasileiro bom no salto com vara???

Pois é, descobri isso esta semana. Thiago Braz é o nome da fera saltadora.

Ele está em quarto lugar no ranking mundial do salto com vara e podemos considerar ele uma boa aposta de capturar uma medalha nas olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

Seu último salto ele obteve a marca de 5,76 m, que é o novo recorde sul-americano.

Tá melhor posicionado que a nossa famosa Fabiana Murer, nono no ranking mundial feminino.

Devemos acompanhar sua evolução no esporte e torcer para que ele realmente chegue com chances!

Abaixo um vídeo do Youtube com ele saltando 5,50m no Campeonato Mundial Junior.

Bolão da Fórmula 1

Resolvi publicar um bolão da Fórmula Um 2014.

Tentarei acertar corrida a corrida o Top 10 da prova, o autor da volta mais rápida e quem vai fazer a pole position.

A Lotus ainda nem foi para a pista, a Red Bull está com problemas com o motor Renault, ainda tem um mês para a primeira corrida, mas eu vou palpitar já e vou ver no que vai dar após o primeiro GP.

Lembrando que na última Copa do Mundo fiz a mesma coisa e quase ganhei o bolão que joguei com meus amigos. Coloquei Holanda campeã bem antes de começar o torneio e quase emplaquei.

O pole position para a primeira prova deverá sair da equipe Mercedes, que foi a que melhor treinou ao meu modo de ver. A McLaren vem rápida, e a Williams surpreendendo com o Massa. No entanto, Lewis Hamilton largará no P1 na primeira prova do ano, na Austrália.

Já o autor da volta mais rápida eu vou dizer que será Nico Rosberg, parceiro de equipe de Hamilton.

E o Top 10 da prova ficará dessa maneira:

P1 – Lewis Hamilton

P2 – Nico Rosberg

P3 – Jenson Button

P4 – Fernando Alonso

P5 – Felipe Massa

P6 – Kevin Magnussen

P7 – Kimi Raikkonen

P8 – Sebastian Vettel

P9 – Daniel Ricciardo

P10 – Romain Grosjean

Será que meu palpite está certo? Faça o seu comentando na caixinha!

Falando sobre Fórmula 1

Ano passado, publiquei no início da temporada um texto que falava a respeito das promessas da temporada 2013.

Realmente algumas coisas que eu escrevi, se concretizaram, como o Vettel campeão, quando coloquei ele como um dos favoritos, e uma boa temporada do Kimi, que segurou um terceiro lugar na tabela de classificação até o momento que ele foi operar as costas e deixou as duas últimas provas de lado.

No entanto, Massa decepcionou. Foi considerado melhor apenas que os pilotos das equipes mais fracas com base em uma análise técnica por um veículo especializado. Não ganhou nenhuma prova e terminou a temporada no olho da rua, indo para a modesta Williams.

Nenhum brasileiro se destacou internacionalmente nas categorias de base, para que tivéssemos um segundo piloto na F-1 em 2014. Razia saiu do holofote das equipes, e Nasr, que é a atual promessa brasileira, só tem oportunidades em equipes nanicas, caso da Caterham e da Marussia.

Uma pena. O esporte hoje necessita de patrocinadores que projetem os atletas, e não estamos vendo isso acontecer no nosso país.

Caminho para os esportes de inverno no Brasil

Aproveitando o momento Olimpíadas de Sochi, resolvi escrever a respeito dos esportes de inverno e como eles poderiam se desenvolver no Brasil.

Basicamente nossos atletas que foram para Sochi praticam esportes de neve. E não temos neve no Brasil.

Snowboard e o salto. Todos esportes de neve. Tivemos também cross-country e biathlon, que também são esportes de neve. O bobsled é considerado esporte de gelo, mas usa uma infraestrutura específica, que é a pista onde o trenó desce.

No entanto, para podermos praticar estes esportes e futuramente termos atletas que seguirão os passos de quem nos representa lá hoje, precisamos de um alto investimento e são raros os atletas que dispõem disso hoje neste segmento.

Para mim, o mais lógico, seria migrar o dinheiro que a CBDN (Confederação Brasileira de Desportos na Neve) destina a esses atletas, para a CBDG, que é a Confederação Brasileira de Desportos no Gelo.

Hóquei no Gelo

Pois no gelo, podemos passar a ter os esportes adaptados e em uma infra-estrutura que poderá ser construída em diversas cidades brasileiras.

Em uma área pública com as dimensões de patinação de velocidade pista longa, onde podemos disputar 8 medalhas, pelo menos, há possibilidade de adaptar a mesma área para o  hóquei, com mais duas medalhas (masculino e feminino), assim como poderemos desenvolver toda a parte de patinação artística (pelo menos mais 3 medalhas), a patinação de velocidade de pista curta (pelo menos mais 6 medalhas). Isso poderia ser construído em concreto bem liso e suas linhas pintadas de forma com que fosse uma área multi-uso. Seriam 19 medalhas sendo disputadas com a criação dessa mesma infra-estrutura, e com esportes que a garotada teria acesso a sua prática de forma bem mais possível. Muito mais do que as possibilidades que temos hoje.

E poderíamos ter arenas de gelo realmente, uma para cada região do Brasil, com uma capacidade de público de 5 mil pessoas, que concentrariam esses atletas de nível nacional para praticar seus esportes e se desenvolverem para o nível internacional.

E nessas arenas de gelo, entraríamos com o curling também. Mais duas medalhas.

Em dois ciclos olímpicos, com a disseminação feita a partir desse modelo adaptado, certamente iriamos colher nossos primeiros resultados.

Escaladas radicais

Prioritariamente falo sobre futebol no blog, mas gosto de ampliar os assuntos quando vejo algo interessante.

Assistindo ao canal Off, me deparei com um programa sobre escaladas. Este programa tinha como principal personagem o escalador Chris Sharma. Californiano, de Santa Cruz, Chris começou a escalar aos 12 anos.

O nome do programa se chama King Lines, que eu pensei que fosse um programa sobre slackline, que gosto de assistir, mas parei para ver.

As produções do Off levam muita arte na apresentação dos seus conteúdos e são bacanas de ver.

Apesar de não entender nada de escalada, deu para ver que Chris Sharma é um ótimo escalador, pois faz coisas bem radicais, como escalar sem corda e escaladas do tipo “deep-water soloing”, que é basicamente uma escalada que se faz sem cordas e se ele caísse, ele caia no mar. Sim! No mar! Muito radical e impressionante.

Vou deixar um vídeo do youtube abaixo como um sample do que Chris Sharma faz nas paredes ao redor do mundo. Divirta-se!