Joguinho Viciante – Travian

Há muito tempo não jogava o travian, jogo de estratégia medieval multijogador. Estou conseguindo desenvolver muito bem minha cidade e tendo ótimos resultados de ataques contra as outras cidades vizinhas, coletando bastante ítens entre cereal, madeira, ferro e barro. Praticamente dobrando minha produção atual dos ítens. Meu primo Fernando já está há mais tempo no jogo e ele está bem mais desenvolvido militarmente e com várias cidades sendo administradas por ele.

Vamos ganhar o round!

Fórmula Um – GP de Spa

Incrivel a zica que Rubens Barrichello carrega em seu carro. Bom, com Galvão Bueno secando desde antes da largada fica fácil descobrir o andamento da corrida. Ele disse que se a prova terminasse com as posições do grid, Rubinho faria 5 pontos e seus concorrentes nenhum. O que era ótimo. Mas 30 segundos depois, ou nem isso, Rubens já era o último colocado. Parece que pela terceira vez no ano, o dispositivo de seu carro que não o deixa morrer o F-1 da Brawn matou o fim de semana de todos os brasileiros que acompanham o campeonato.

Lá pela metade da prova, mudança na estratégia do brasileiro, começou a se falar de Alonso. Principalmente Galvão, que começava a por o asturiano no pódio, ou quem sabe algo mais. Pois é, deu que no pit-stop travou uma das rodas a serem trocadas e Alonso perdeu uns bons 45 segundos no pit. Resultado, voltou em último. É, Galvão estava a toda hoje com sua zica poderosa. Uma ou duas voltas depois, o big boss da Renault, Flavio Briatore pediu para que Alonso fosse aos boxes e abandonasse a corrida, com medo de outra punição para a equipe.

E enquanto isso ninguém falava de Vettel, que no terço final da prova conquistou a terceira posição e por lá ficou, sorte dele, pois, com sua posição no pódio, somou 6 pontos. Seu motor aguentou até o final desta vez, por competência, sorte e também por falta de secar a pimenteira dele por parte do Galvão.

E aí chegamos ao final da prova mais surpreendente do ano, ou melhor, do fim de semana mais surpreendente do ano considerando que tivemos sempre tempo bom na Bélgica com a vitória de Kimi da Ferrari, a primeira do time italiano no ano e o segundo lugar da Force India de Fisichella. Impressionante o acerto que a equipe teve para esse fim de semana. Só não passou pois faltou o Kers para tentar arriscar, já que o carro ferrarista possui o equipamento e assim ficou difícil nas retas.

E o Rubinho??? Em sétimo recebeu a bandeirada final, quando estava colado no sexto, Kova da McLaren (seguindo o apelido dado nas transmissões por Massa, hehe) seu motor começou a fumar justamente quando começaram a mostrar a briga entre os 2 e o Galvão incitando que ia passar. Rubinho tirou o pé, cruzou a linha de chegada sem efetivamente ter disputado e quando o carro parou, pegou fogo, que os bombeiros prontamente já cuidaram do problema.

Vamos ver se na próxima prova teremos alguma bagunça como foi esta semana e vamos torcer para o Rubinho ter mais sorte de campeão, pois hoje não teve.

violência na portuguesa

Até quando a barbárie e a falta de bom senso vão continuar no futebol brasileiro? Até que não haja mais nenhum torcedor indo aos estádios com ingressos mesmo custando 1 real? A arena dos gladiadores foi transplantada para a área externa do espetáculo?

Fico indignado ao ler sobre questões de violência, ainda mais no esporte que é a paixão do povo. Armas? Onde os senhores que foram armados ao vestiário estão agora? O Estatuto do Desarmamento permite estas pessoas estarem armadas?

Simplesmente lastimável ver o time e os bons torcedores pagarem por culpa de poucas laranjas podres. O bom técnico René Simões já foi embora e o melhor jogador da Portuguesa utiliza este fato como a gota d´agua para ser negociado para outro clube.

Dessa maneira Portuguesa, vocês não vão chegar a lugar algum.

não saber o que escrever

Acho que atingi o nível dos grandes artistas que escrevem textos literários. Com uma enorme falta de modéstia, comecei o post. Mas é pelo mesmo motivo que deixa estes artistas de cabelo em pé. O branco do papel e nada na cabeça para colocar nele.

Como atualmente escrevemos digitalmente, nosso papel pode ser uma das diversas telas de processadores de texto que tem no mercado, ou mesmo nosso branco do fundo da tela do nosso servidor de blog.

Que ódio que isso dá. Às vezes queremos colocar algo bacana no blog para vocês lerem, mas simplesmente nada vem para a nossa mente. Mesmo quando temos um tema.

Por exemplo, meu outro blog, o Rádio E. Escrevo sobre música eletrônica nele. Estou há dias sem inspiração. Isso por que atualmente tenho algumas parcerias estratégicas. Será que isso bloqueou minha criatividade?

Isso me lembra o lance de escrever com pressão. Como numa prova da escola ou da faculdade. Milhares de vezes já me falaram que no momento que a prova chegava, por mais que meus colegas tinham estudado, ou decorado, ao ler as perguntas, o branco aparecia. E contra ele ou uma cola bem feita ou a consequencia: uma nota ruim. Sempre desconfiei isso, até que um dia aconteceu comigo.

Aconteceu pois não tinha entendido a matéria que eu estudei. E o branco apareceu. Incrível.

Acho que tenho que estar mais integrado dia a dia ao conteúdo que vou escrever, assim, ele naturalmente flui e a página branca terá a tinta, ou melhor, os caracteres que ela necessita para passar conhecimento ao próximo.

E vamos que vamos.