Post #35 – Indústria de Multas?!?

Retirado do UOL.

Homem é multado em Blumenau por dirigir a 4.800 km/h

Do UOL Tablóide*

Que os carros são cada vez melhores e mais rápidos, não resta dúvida. O que ninguém sabia é que já há modelos capazes de ultrapassar a barreira do som.

Em 2001, o advogado Jucelei Tavares Menezes, morador de Blumenau, em Santa Catarina, foi multado em R$ 102,15 por dirigir a 4.800 km por hora em frente ao um hospital de sua cidade. O carro, um simples Gol 1.6.

A velocidade citada pela multa corresponde a quatro vezes a velocidade do som ou duas vezes a velocidade de um jato supersônico Concorde, que voava até 2.600 km por hora.

O erro foi logo identificado e no dia seguinte ao recebimento da multa, ligaram para cancelá-la.

O advogado catarinense desbancou o engenheiro de alimentos Rafael Andrade, do Distrito Federal, que detinha o recorde nas pistas até então. Ele foi pego recentemente “voando” no Rio de Janeiro a 880 km por hora.

Comentário: Acho que não preciso falar mais nada. Daqui a pouco vão multar pq a rotação da Terra passa de 100km por hora e todos os carros parados passariam de tal velocidade.

É um absurdo atrás do outro no Brasil. Se eu sou o cara que recebeu a multa, eu processo o Estado. Os caras não avaliam nem antes de enviar o absurdo para a casa do indivíduo. Ele ainda teve que pagar e recorrer da multa para ser ressarcido.

Melhor é ir morar na Lua.

Anúncios

Post #34 – Os argentinos nunca assumem suas derrotas

http://www.ole.clarin.com/notas/2008/06/05/copalibertadores/01687498.html

Chega a ser ridídula a postura do diário Olé argentino, mesmo todos nós brasileiro sabendo que o diário fala de um jeito muito apaixonado com seu torcedor.

Uma postura que beira o anti-profissionalismo, trazendo para seus leitores, textos que não exprimem a verdade do que ocorreu em camo, e tornam ainda mais patéticas as frases, ditas sagradas, pelos jornalistas brasileiros em supervalorizar o Boca Juniors, chamando-os de qualquer superlativo, como Poderoso Boca Juniors. Poderoso já poderia ser marca registrada do Corinthians, que inventou o Todo Poderoso Timão e toda hora falam desta maneira para o Boca.

Que na minha opinião era um Boca Meia-Boca jogando essa Libertadores da América, muito inferior a outros times boquenses que já vi jogar o torneio.

Mas o pior de tudo é o inconformismo que o diário Olé prega em sua matéria no link acima. Acham que o resultado de 3-1 foi irreal, não refletiu a partida. 3-1 sempre é um resultado que mostra superioridade absoluta de um time. Ainda mais da forma com que os gols foram feitos, e seus momentos na partida. É claro que eu excluo o segundo gol, pois foi um gol de um lance de sorte, mas até aí, com 2-1 no placar, o Boca tinha que tentar algo a mais fora de seus domínios, onde justamente no mata-mata deste ano jogou suas melhores partidas. E o empate levaria a decisão para os pênaltis, temíveis por qualquer jogador de futebol.

O que tem de mais legal no diário Olé, ao menos hoje, são as charges dos torcedores do River, que como bons torcedores do time rival, secaram a pimenteira e goraram o máximo que puderam o time do Boca. E deu certo.

Mas o diário Olé poderia ser um pouco menos apaixonado com as matérias que escreve, ser um pouco mais jornalístico e narrar os fatos, com olhos argentinos, claro, mas com olhos de jornalistas com credibilidade e não com olhos de torcedores que publicam matérias neste jornal.

Post #33 – Electronic Nation traz DJ Mandraks para o programa

Dj Mandraks

Está no ar o programa quarto programa Electronic Nation com o DJ Mandraks, residente da rave Sirius e que faz parte do casting da agência Water Republic.

Em seu set de 30 minutos, ele traz o som do Wehbba, algumas produções internacionais e fala um pouco sobre sua vida e a cena eletrônica atual.

Não perca esta entrevista exclusiva com o DJ revelação de 2007, aclamado pela mídia especializada.

Download no http://radioe.mypodcast.com

Rádio E – Essencialmente Eletrônica